“Mas amiga, qual é o nome do curso que você está fazendo mesmo? Cordon Bleu?”

Foi o que eu escutei outro dia de uma amiga minha. É que eu venho mencionando aqui e ali que decidi começar a trabalhar com tours guiados aqui em Londres e comecei um curso sobre isso – e o nome da certificação é guia Blue Badge.

Só que faltou explicar o que significa “ser um guia Blue Badge”, né?

Pois então: aqui na Inglaterra, como em vários países (incluindo o Brasil) há alguns cursos de capacitação e treinamento para guias de turismo, onde eles aprendem a herança histórica, bem como alguns aspectos importantes do lugar onde eles vão guiar. Só que aqui na Inglaterra, há diferentes níveis de certificação, e cada nível tem uma cor diferente. Há um guia especializado só em uma Igreja, por exemplo. Ou outros especializados numa cidade ou numa região.

 

O que é um guia Blue Badge?

A certificação Blue Badge é a que se refere aos guias habilitados a fazerem tours em Londres inteira, bem como arredores (o que inclui bate e volta a cidades como Bath, Oxford, Salisbury, Canterbury, Windsor e a lugares históricos como Stonehenge). É também o nível de certificação mais alto da Inglaterra.

Quem se forma com essa qualificação usa um distintivo (“badge”) como esse aí embaixo.

Image result for blue badge guide

E o que isso significa na prática?

Significa que os guias Blue Badge possuem um treinamento extensivo (e intensivo, hardcore mesmo!) sobre diferentes aspectos de história, arquitetura, artes, literatura, bem como treinamentos em cada um desses locais, para poder oferecer a melhor experiência de viagem possível.

Em outras palavras: é ir para Stonehenge em dia de chuva e vento para descobrir não só os segredos do lugar, mas de onde tirar a melhor foto, onde fica o ponto exato para se ver o solstício, qual a melhor hora de chegar com os visitantes para evitar a muvuca, quais as paradas estratégicas do banheiro… entre outras coisas. ?

Porque Stonehenge é muito mais do que pedra sobre pedra, a gente vai in loco aprender os segredos de cada uma delas. Crédito da Foto: Patrick Ding (colega de turma!)

 

Como é o treinamento?

O processo todo leva praticamente dois anos, snedo um ano e meio de muito, mas muito estudo mesmo.

Tudo começa com uma prova de seleção, que sempre acontece no início do ano. Eu me inscrevi no ano passado e fiz a prova no início deste ano – e só essa prova de entrada já é bastante, bastante difícil. Envolve conhecimentos gerais sobre a história de Londres, Inglaterra (e um pouquinho de conhecimentos gerais da Europa), avaliadas em 150 questões ? (discursivas, óbvio, porque senão fica fácil!). Passando nesse primeiro processo, há uma entrevista de avaliação. Eu lembro que fiz a minha de frente para uma banca de avaliação – me senti de volta na época da faculdade, quando tive que defender o meu projeto final de monografia!

Uma vez que a gente é selecionado, há uma espécie de “indução” em que a gente é apresentado aos temas e ao syllabus do curso, que basicamente significa tudo o que a gente tem que aprender. O curso começa efetivamente nos meses de setembro, e daí dura 1 ano e 6 meses, mais ou menos, até a última prova de avaliação.

Foto da minha turma em um dos nossos treinamentos práticas (eu sou a de amarelo, obviamente!). Tá todo mundo sorrindo, mas a gente chora por dentro na hora de estudar! Crédito da Foto: Aaron Hunter (colega de classe!)

“Isso! Blue Badge, Blue ribbon, Cordon Bleu… eu sabia que tinha alguma coisa azul nisso aí”.

Quando minha amiga falou isso, eu achei engraçado ela falar do Cordon Bleu, que é a escola de gastronomia crème de la crème do mundo (e cuja tradução significa, curiosa e literalmente, “cordão azul”). Embora a Cordon Bleu seja uma escola de gastronomia com uma pegada mais universal e o Blue Badge (traduzindo, “distintivo azul”) seja mais específico à Inglaterra, eu achei a analogia válida, pelo menos no que diz respeito a promover um treinamento exigente e aprofundado em todos os seus quesitos. Ambas as escolas tem o objetivo de formar um profissional completo e de primeira linha lá no fim dessa jornada – uma semelhança que vai muito além da cor azul, apenas!

As aulas acontecem todas as terças e quintas, com palestras super intensas sobre diferentes aspectos da Inglaterra: história, arquitetura, literatura, música, artes, pintura, agronomia, leis, política, paisagismo, vegetação, geologia… Até aprender sobre raças de vacas e ovelhas eu tive que fazer!

O interessante é que cada uma dessas aulas é dada por um especialista na área (que pode ser um guia Blue Badge também, ou não) com décadas de experiência. Isso tem feito toda a diferença: tenho saído de aulas tão interessantes que me fazem sair coma  cabeça rodando. Uma das mais fantásticas que tive foi com um professor que História do Teatro, em que cheguei esperando nada e morrendo de sono, e saí sem piscar – tanto que escrevi um post dividindo o que aprendi na aula. Outra ocasião foi uma aula sobre agronomia (e que eu tinha certeza de que ia viajar na batatinha!). O professor em questão trabalhava há 20 anos diretamente junto a fazendeiros, e nos deu uma verdadeira aula sobre o funcionamento das fazendas atuais e o perigoso impacto que a economia (e o Brexit) já está fazendo nos produtores e de quebra, nos nossos alimentos. Uma aula de abrir a cabeça, os conceitos, os olhos, as perspectivas.

Ah, e claro, há as aulas práticas, que acontecem nos sábados, em que vamos fisicamente aos lugares que estamos estudando – ou vamos fazer nossos testes práticos, o que significa pagar mico no microfone de um ônibus de turismo ou tentar reproduzir o que a gente aprendeu num tour sobre pinturas no National Gallery ou nos artefatos do British Museum. A proporção dos meus cabelos brancos aumentou muito nos últimos dois meses, e tenho certeza de que a culpa é do meu nervosismo sofrível nessas apresentações.

Moral da história: tô surtando de tanto estudar. Mas há muito tempo não morro tanto de amores por um curso assim. Tá sendo mágico.

 

Qual a diferença de estar com guia Blue Badge?

A primeira vez que eu fui num tour de uma guia que tinha a certificação Blue Badge (e que me apresentou ao curso, de certa forma), lembro de ter ficado muito impressionada. Era na Torre de Londres, e a sensação que tive com ela foi muito mais do que simplesmente “ah, era uma guia muito boa, que sabe muito”.

Não. Como a gente diz aqui, “she owned it”. Ela dominava o tour. Em história, em conteúdo, em fatos, em tudo. ?

Não teve uma pergunta, um aspecto, uma coisinha só que fosse que ficou de fora. Mais que um tour, foi uma aula “in loco”. Jamais esqueci. E se fosse para eu ser guia uma vez na vida, eu tinha que ser assim também.

E assim como há vários chefs de cozinha maravilhosos sem terem passado pelo Cordon Bleu, a mesma coisa acontece com os guias aqui em Londres: há muitos guias bons que não tem nenhum curso. Só que como eu estou sentindo na prática, ter o curso faz uma diferença enorme na qualidade do meu trabalho, no meu resultado.  Mesmo sendo ainda uma estudante com apenas três meses de curso, eu já sinto ter uma diferença enorme em termos de bagagem de conhecimento, de didática, de apresentação, de capacidade em criar tours mais educativos, interessantes e divertidos do que eu fazia antes. Eu sinto isso traduzindo nos meus tours e nas pessoas que fazem o tour comigo. Eu sinto que eu consigo dar o meu melhor em cada tour que eu faço, e o meu melhor fica ainda melhor a cada dia.

Tenho feito aulas com diversos Guias Blue Badge desde que o curso começou, e digo sem sombra de dúvidas que sinto que o nível do tour é totalmente diferente, e vale cada centavo. E dá para ter uma idéia de como eles fazem por esse vídeo aqui, produzido por eles!

Além disso, há uma vantagem mais específica: há algumas atrações que apenas os guias Blue Badge podem entrar para guiar dentro delas, como a Torre de Londres, a Abadia de Westminster, o Palácio de Windsor. E nesses lugares, estar com um Guia Blue Badge significa que você pode furar as filas de entrada, o que faz uma enorme diferença (especialmente no verão, que são os meses de alta temporada!).

 

Quanto tempo falta para você se formar?

Eu me formo (dedos cruzados!) em fevereiro de 2019, quando poderei ter finalmente a certificação (e poder guiar dentro das atrações mais restritas). Mas já estou trabalhando com alguns tours, que vocês podem ver nesta página.

De tudo, sei que ainda tem muito chão de estudo (e lágrimas, porque o curso é tão punk que olha), mas de uma coisa eu tenho certeza: eu sei que eu estou amando essa maratona, e vou fazer o meu melhor para te proporcionar um lado tão encantador e profundo da Inglaterra. E está sendo uma delícia me capacitar para isso! ?

Faça um tour em Londres comigo! ?

A melhor forma de conhecer Londres a fundo, com todas as suas histórias e segredos, é fazendo um tour privado. Eu monto tours especializados e divertidos para atender a toda sua família!

Confira alguns tours que já oferecemos, veja os depoimentos de quem já fez ou mande um email para contato@dondeandoporlondres.com.br

Será um prazer receber você em Londres! ?

GOSTOU? DEIXE SEU FEEDBACK!

Por favor, deixe o seu comentário! :)
Por favor, escreva seu nome aqui