Top
Dondeando Por Londres / Quem é Clarissa Donda

Quem sou eu!

 

Olá! Meu nome é Clarissa Donda, sou brasileira e moro em Londres desde 2014.

Sou jornalista de formação, profissional de marketing e, agora, guia de turismo certificada em Londres (tenho a certificação Blue Badge, a mais alta do Reino Unido para guias de turismo). Trabalho apresentando essa cidade maravilhosa (e muitos outros destinos aqui na Inglaterra) para famílias. Meu trabalho é focado especialmente em tours para famílias, crianças e corporativos.

Mas caso você queira conhecer a a pessoa por trás do trabalho (que, sei lá, eu sempre achei a parte mais interessante), aí vai:

Oi, prazer, eu sou a Clarissa e adoro contar histórias – e vou começar contando a minha. 🙂

Um pouco da minha história.

Eu sou natural do Rio de Janeiro (e sim, falo “chiando”) e sempre trabalhei de certa forma com as palavras. Comecei minha carreira no mundo corporativo, trabalhando nos departamentos de marketing e comunicação de empresas como a L’ORÉAL, Duty Free, entre outras. Entre emails, planilhas e cargas horárias de 9 às (cof, cof) 18 horas, eu planejava viagens pelo Brasil e pelo mundo. Viagem e cultura sempre foram uma paixão minha, mas olhando para trás eu vejo que essa experiência corporativa me deu não só os meios financeiros para isso, mas também me ensinou muito sobre excelência de serviços, aperfeiçoamento constante, comprometimento e metas. Eu levaria para a vida muitas lições aprendidas aí!

No entanto, foi num cruzamento inesperado da vida que traria minha primeira mudança de rumo – e veja bem, estou sendo literal quando falo em “cruzamento: eu estava sentada no banco de trás, com cinto de segurança.

Fraturei o ombro em um acidente de carro (ironicamente, o cinto de segurança que quebrou o ombro com o impacto, mas também foi ele que salvou minha vida) e, apesar de não ter ficado nenhuma sequela, tive uma recuperação bem chatinha, que me obrigou a ficar em casa, imóvel, por 6 meses. Hoje penso que foi minha primeira quarentena, muito antes do distanciamento social virar “moda” em 2020.

Foi nesse período que, como um exercício para manter a sanidade, eu criei um blog, o Dondeando Por Aí, como um exercício de viajar sem sair de casa e sem nenhuma ambição que não fosse colocar uma palavra após a outra. O nome, “dondeando” veio do meu sobrenome, “Donda”, e nasceu assim mesmo, no gerúndio, porque gerúndio dá a idéia de movimento e eu precisava me sentir indo para algum lugar. Foi assim, contando histórias para os outros, que eu fui me curando. Mais tarde que eu descobri que exatamente isso seria um precioso remédio ao longo da minha vida.

Uma vez que a nova Clarissa, digo, Clavícula, estava sarada, eu tomei a decisão de voltar para a carreira que tinha começado, o Jornalismo. Eu queria voltar a escrever histórias e a lidar com pessoas. Em 2012 fiz essa transição: saí dos escritórios para trabalhar como jornalista de viagem.

Além de escrever para o meu próprio blog, eu escrevi também para algumas revistas (Viaje Mais, VoeTrip Linhas Aéreas) e para sites de grandes empresas (Expedia, MasterCard, Iberia Linhas Aéreas). O foco sempre foi voltado para destinos e experiências diferentes, no Brasil e fora. Vale ressaltar que escrever sobre viagem é um pouco menos glamour do que parece, mas foi uma experiência maravilhosa, onde conheci pessoas incríveis que tenho até hoje perto comigo, na minha vida.

E foi nesse contexto que, em 2014, eu resolvi ir topar um novo desafio e me mudei, de mala e cuia, para Londres.

Na época em que eu cheguei, o Big Ben ainda não tinha entrado em reforma!

 

Eu não comecei a trabalhar como guia imediatamente. Levei um tempo para me adaptar e me encontrar por aqui, e durante esse tempo tive outra experiência bem legal: trabalhei em uma empresa de tecnologia como Country Manager. Foi uma experiência fantástica também: internacional, intensa… e também bem desafiante.

Mas como já disse o Steve Jobs num discurso memorável dele, a vida vai te jogando um monte de pontos aleatórios, que a gente só vai começar a ligar bem lá na frente. Nessa experiência tech eu pude aprender muito sobre diferentes culturas e sobre o mercado de tecnologia aqui em UK, mas também me ajudou a me organizar bastante (o app que vendíamos era de produtividade) e essas habilidades seriam fundamentais para eu conseguir fazer outro salto mais adiante: montar minha própria empresa de turismo.

 

Sobre ser guia e saber o caminho

Eu comecei trabalhando como guia de turismo para algumas agências aqui em Londres, e por coincidência (essa coisa que, sabemos, não existe), eu comecei trabalhando com tours educativos. levávamos grupos de estudantes do mundo inteiro para fazer tours temáticos em Londres: sobre startups, medicina, arquitetura, história.

Eu me apaixonei: juntar educação, viagem e pessoas num trabalho só era ao mesmo tempo, um prazer e um propósito. Decidi que era isso – tours temáticos, divertidos, cheios de conhecimento e prazer – que eu queria fazer dali em diante.

E se nesse tour eu pudesse contribuir com aprendizado de alguém – especialmente crianças! – melhor ainda!

 

 

Mas eu sou dessas que quando me comprometo, quero fazer algo sério, seríssimo. Então resolvi me dedicar ao desafio de passar no curso para Guia Blue Badge, a mais alta certificação para guias de turismo na Inglaterra. Pense, é quase um mestrado: são dois anos de estudo intensivo (e suor e lágrimas, como eu costumo dizer), em que aprendemos com os melhores profissionais britânicos tudo o que precisamos saber sobre História, Arquitetura, Business, Monarquia, Sistema legal britânico, Arte, Literatura, Teatro… entre mil outras coisas. Foi, seguramente, o curso mais difícil que eu já fiz na minha vida. Mas se voltasse atrás, faria de novo, tudinho.

Vale que essa jornada e esses pontinhos não vieram sem turbulências. Mas caminho a gente vai descobrindo é andando, e aos poucos eu fui entendendo que o que me tocava é isso mesmo: sou apaixonada por histórias, seja ouví-las, contá-las ou escrevê-las. E foi estudando a História da Inglaterra, esse país tão complexo e multifacetado de guerras, tradições, invenções e conflitos, que a gente aprende que muitas vezes as grandes reviravoltas começam bem pequenininhas, quase desapercebidas. E não é muito diferente para a gente: às vezes acho engraçado pensar que essa minha trajetória toda começou com um osso quebrado, lá trás, e um palpite de que as histórias, mais que passar o tempo, podiam curar.

Minha missão é essa: proporcionar à sua família a ter uma viagem inspiradora, cheia de conhecimento e significado, aqui na Inglaterra. Porque acredito que são essas pequenas coisas, e esses pequenos momentos em família nas viagens,  os pontinhos que vamos ligar lá na frente para construir algo de valor!

 

Bom, é isso. É um prazer conhecer vocês! 🙂

 

Minhas certificações:

  • Sou Guia certificada Blue Badge: saiba mais sobre essa certificação aqui.
  • Sou membro do Institute of Tourist Guiding e da APTG (Association of Professional Tourist Guides), os dois órgãos que regulamentam as atividades de guias aqui no Reino Unido.
  • Sou qualificada pelo Institute of Linguistics do Reino Unido para guiar em Inglês e Português
  • Sou guia habilitada para guia no Castelo de Windsor (como Guia Blue Badge eu posso guiar em todas as atrações oficiais de Londres, mas o Castelo de Windsor exige uma certificação especial, que eu também tenho)

 

Para saber mais sobre meu trabalho:

Comments:

  • Mauro de A. Madeira
    10/06/2018 at 18:27

    Gostei, Donda. Eu e minha mulher somos um casal idoso (78 e 68), de boa saúde. Além de Londres na sua brilhante companhia, eu lhe pergunto sobre a possibilidade de turismo cultural, especialmente, um pequeno curso sobre Shakespeare, incluindo visitas a castelos, na Escócia, em Edimburgo etc. Nosso inglês é razoavel para ler, não muito bom para ouvir ou falar. Mas eu já andei lendo Shakespeare, mesmo em inglês. Gosto de turismo para aprender coisas novas, não só para ver… Se tiver sugestões nos avise, por favor. Um abraço. Mauro e Teresa.

  • RENATA
    23/08/2018 at 23:01

    Olá Clarissa, tudo bem?

    Te enviei um email sobre a possibilidade de nos atender no final deste ano (20 a 25 de dezembro 2018). Adorei as estórias que li sobre você e do modo como trabalha e como é apaixonada por história e cultura inglesas.
    Adoramos saber muito sobre historia. Ainda mais em um lugar tão rico quanto este.
    Por favor, me avise se acaso recebeu meu email? Caso contrário, envio novamente, pois conto um pouco do que gostamos e o que temos em mente.

    Muito obrigada e está de parabéns pelo seu trabalho e vibração!

  • RENATA Amaral
    23/08/2018 at 23:03

    Olá Clarissa, tudo bem?

    Te enviei um email sobre a possibilidade de nos atender no final deste ano (20 a 25 de dezembro 2018). Adorei as estórias que li sobre você e do modo como trabalha e como é apaixonada por história e cultura inglesas.
    Adoramos saber muito sobre historia. Ainda mais em um lugar tão rico quanto este.
    Por favor, me avise se acaso recebeu meu email? Caso contrário, envio novamente, pois conto um pouco do que gostamos e o que temos em mente.

    Muito obrigada e está de parabéns pelo seu trabalho e vibração!

  • Clarissa Donda
    05/11/2018 at 21:10

    Clarissa Donda… bom dondear com ela por Londres foi o “maior barato”. Menina inteligente, amável, pontual, conhecedora da história secular de Londres. Os passeios esplendidamente planejados, com paradas para um chá com aqueles bolos maravilhosos, ou para bebericar uma simples sidra no que foi anos atrás uma cavalariça real ou um spaguetti aos cinco queijos em Camden… Ela fez leve o passeio de horas! Obrigada Clarissa e boa sorte!

Leave a Reply: