Passadas as festas de ano novo, não é segredo que muita gente fica pensando em o que fazer em Londres em janeiro, com o inverno tomando conta das ruas, e a temperatura lá embaixo. Por outro lado, janeiro é também o mês das promoções aéreas, quando a quantidade de libras esterlinas que a gente tem que gastar fica um pouco mais amigáveis.

Mas chove muito? É muito frio? Dá para aproveitar Londres mesmo assim? 🌧☔🙄

Dá, e dá bastante! Porque se por um lado a natureza e as árvores parecem hibernar nessa época do ano – e o frio e o vento meio que tentam convencer a gente a fazer o mesmo – Londres continua frenética e incandescente na sua programação. Então uma das melhores coisas para fazer em Londres em janeiro é não resistir ao inverno, mas juntar-se à ele, aproveitando a programação frenética que acontece em Londres mesmo nessa época do ano. 🙂

 

Vale a pena ir a Londres em janeiro?

Apesar de janeiro não ter o calor nem os dias longos do verão londrino, há algumas vantagens em conhecer a cidade nessa época do ano:

  • É um mês de baixa temporada, o que significa que as diárias dos hotéis estão mais interessantes. O mesmo vale para as passagens aéreas, que costumam estar mais em conta nesta época.
  • Janeiro é o principal mês das liquidações de lojas em toda a Inglaterra. É ótimo para comprar roupas e sapatos, especialmente.
  • É também quando o Royal Albert Hall (uma das casas de espetáculos mais lindas de Londres) vira “a casa” do Cirque du Soleil, que se apresenta diariamente ali todos os anos de janeiro a março.
  • Os museus de Londres se enchem de exposições fantásticas – ótimo programa indoor para escapar do frio lá fora!
  • Com os dias mais curtos e as noites mais longas, é o mês ideal para realizar o Lumiere London, o festival de luzes da cidade, que verá realizado no segundo ano consecutivo (e, torcemos, que ainda venham muitos por aí!)
  • Aproveite para comer e beber! Nessa época do ano a maioria dos pubs ainda oferecem o “mulled wine”, que seria o nosso famoso vinho quente, que é bem gostoso. Mercados como o Spitalfields continuam cheia de food-trucks maravilhosas, e no bairro de Shoreditch você pode experimentar o melhor chocolate quente de Londres (e, arrisco dizer, um dos melhores do mundo)!

Dito isto, vamos às atividades do que acontece em janeiro, para você aproveitar o máximo da sua viagem!

 

O que fazer em Londres em janeiro (o mês todo):

 

Liquidações

Na verdade, as grandes liquidações acontecem a partir do dia 26 de dezembro, que é o chamado Boxing Day, e quando praticamente rola a queima de todas as coleções de inverno e de presentes do Natal que não foram vendidos. É a melhor época do ano para comprar de grandes marcas, que chegam a oferecer promoções de até 70%.

Bons pontos da cidade para fazer compras:

  • Oxford Street, a “Meca” das compras: Praticamente onde estão as principais lojas conceito de marcas. Vantagens: você acha todas as lojas em um lugar só. Desvantagens: a sensação é que metade do mundo está fazendo compras junto com você, de modo que é muito, muito cheio. Dica: chegue lá às 9:30 da manhã, quando algumas lojas já estão abrindo, e você aproveita as compras antes do “fervo”. Nike, TopShop, Urban Outfitters, Lush e Benetton tem suas lojas conceito ali. Lojas de departamentos como a House of Fraser, Debenhams e Selfridges também são uma excelente pedida, e estão com preços ótimos. Melhores saídas do metrô: Oxford Circus e Bond Street.
  • Carnaby Street: Ruazinha pequena, mas igualmente cheia e modernética, é uma das paralelas à Regent Street e com marcars mais descoladas, como a Lomography, Camper, Mac, Benefit, Puma, entre outras. Quase sempre está lindamente decorada, o que é um plus para “Instragram-aficionados”, e é cheia de barzinhos delícia também. Melhor saída do metrô: Oxford Circus.
  • Long Acre: Ruazinha que fica a uma breve escapada de Covent Garden, concentra lojas grandonas da Reiss, Hobbs, COS, Arket, Cartier, com um andar ou dois inteiros dedicados à liquidação. Bom para pesquisar e fazer compras à vontade. Melhor saída do metrô: Covent Garden
  • Chelsea: Comece pela Sloane Square, onde está a Peter Jones (ótima loja de departamentos que pertence hoje à John Lewis) e siga pela King’s Street. Há séculos atrás a King’s street era considerada a segunda melhor rua de compras de Londres, atrás da Carnaby Street. Os tempos mudaram e outros pólos de compras apareceram (Alô Oxford Street), mas esse cantinho de Chelsea permanece fiel à tradição de reunir lojas independentes, chiquérrimas e boutiques luxuosas. Não por acaso, os membros da família real e artistas pop moram e compram por aqui. Melhor estação de metrô: Sloane Square (linha amarela e verde, District e Circle).
  • Harvey Nichols e Harrods: A Harvey Nicks era a loja preferida da Princesa Diana e até hoje continua fiel à sua tradição de oferecer vitrines maravilhosas e roupas de designers. Em janeiro, porém, as etiquetas de preços ficam consideravelmente mais atraentes e 60% mais em conta. Victoria Beckham e Armani são algumas das marcas mais interessantes. Dali a pedida é seguir pela Brompton Road, onde praticamente em frente à Harvey Nicks há uma loja da Burberry (também em promoção e com preços menos estratosféricos). Siga pela Brompton Road espiando as vitrines até chegar na Harrods, famosa loja de departamento que responde sozinha pela maior concentração de clientes estrangeiros de todo o Reino Unido. Dica: em janeiro a área de beleza está com os melhores descontos, até 60%. Melhor estação do metrô: Knightsbridge, linha Piccadilly.
  • Shopping Center Westfield: Londres conta ainda com 2 enormes shopping centers, ambos facilmente acessíveis de metrô (linha vermelha, central): o Westfield Shepherd’s Bush e o Westfield Stratford (procure por essas respectivas estações – elas ficam exatamente no lado oeste e leste da cidade). Ambos possuem áreas enormes dedicadas à compras, mas também praças de alimentação gigantescas e restaurantes bacanas, de modo que quem estiver com crianças pode encontrar áreas para elas se divertirem também. É uma opção boa para um dia de compras que esteja chuvoso, e você não está muito disposto a andar nas áreas abertas de compras da cidade. Ambos os Westfields já resolvem a sua vida: tem lojas como a TopShop, Nike, TKMaxx, M&S, Uniqlo, Gap, Victoria Secret’s e um corredor dedicado a lojas de luxo também.
  • Outlets: eu confesso que eu não acho nenhum outlet do mundo tão bom quanto os dos EUA, mas acho que dá para fazer ótimos achados por aqui. Em janeiro, porém, os preços e ofertas ficam ainda mais interessantes. Em Londres há o London Designer Outlet (saíde de metrô: Wembley, linha Metropolitan), que fica pertinho do estádio. O outlet mais famoso, porém, é o Bicester Village, a caminho de Oxford. Reserve um dia inteiro para ele, e compre um bilhete de trem saindo da estação de Marylebone (há funcionários do Outlet vestidos especialmente para ajudar você a comprar os bilhetes de ida e volta). Outra opção é o outlet de Swindon (ótimo para crianças, fica a uma hora de Londres) e, para quem vai a Liverpool, vale conferir o Cheshire Oaks, outlet que fica a 20 minutos dali, e um dos maiores do país.

 

Apresentação do Cirque du Soleil no Royal Albert Hall

Todos os anos o Royal Albert Hall vira “a casa” do Cirque du Soleil de janeiro a março, onde a companhia apresenta seu mais novo espetáculo. O deste ano é o OVO.

Eu super recomendo, o espetáculo é lindíssimo e o cenário do Royal Albert Hall torna a experiência ainda mais inesquecível. Eu assisti o Ama Luna há alguns anos ali.

Há ingressos a partir de 20 libras, que podem ser comprados aqui.

Hogwarts in the snow

Apaixonados por Harry Potter podem “visitar” a escola de bruxaria de Hogwarts de um jeito especial em janeiro: coberta de neve!

Crédito da foto: WB Studios Tour

Até o dia 28 de janeiro os estúdios da Warner Bros onde foi filmada a saga do bruxinho (a meia hora do centro de Londres e facinho de chegar de metrô) vai deixar todas as instalações e cenários decorados em estilo festivo, com neve, fogo. Visitantes podem esperar também atividades diferentes, como funcionários explicando (e mostrando em tempo real) como foi produzido o fogo e a neve (falsos) para o filme. O estúdio, que já é bacana o ano todo, fica ainda mais interessante e é um programão para as crianças!

Eu já contei como é a visita aos estúdios aqui – e acho que deve ser ainda mais legal nessa época do ano! Ingressos devem ser reservados com antecedência no site do estúdio – não é possível comprar na hora!

 

Rinque de Patinação em Canary Wharf

Quem vem nos meses de novembro e dezembro a Londres vai ver muita decoração de natal e rinques de patinação fofíssimos espalhados por toda a cidade – e que, infelizmente, são desmontados logo após o ano novo.

Quer dizer, exceto um: o rinque de patinação em Canary Wharf funciona até meados do mês de fevereiro, garantindo a diversão (e alguns tombos) para os pequenos e grandões. O bacana é que Canary Wharf é bem interessante para adultos, com centros comerciais para compras, restaurantes bacanudos (e com vistas lindíssimas, do alto dos prédios) e muita arquitetura futurista e sustentável. Quem vem a trabalho para cá (que é um dos pólos financeiros da cidade) pode reservar um tempinho para curtir com a família.

Compre os tickets com antecedência que sai mais em conta: os bilhetes são a partir de £10.95.

 

Para marcar na agenda

Lumiere London (18 a 21 de janeiro)

Nestes dias acontece o segundo festival de luzes em Londres pelo centro da cidade. Aproveite que o dia é curto e as noites longas para andar pela cidade olhando para cima: serão instalações artísticas em 6 bairros da cidade, transformando com luzes a forma como a gente vê Londres.

Veja o mapa da cidade onde as principais instalações estarão neste ano, e veja mais sobre o festival aqui.

Crédito da Foto: Site da Lumiére London

 

London Art Fair (17 a 21 de janeiro)

Acontece a 30º edição do London Art fair, uma das mais importantes feiras de arte contemporânea do país. Ela acontece no Business Design Centre, em Islington, bem perto da Estação Angel (linha Northern, preta). Há ingressos para entrar (em torno de 15 libras), mas deixe para comprar com antecedência pela internet, porque o preço na hora é bem mais caro.

Jogo da NBA (11 de janeiro)

Apaixonados por basquete podem assistir um jogo da NBA no O2, que é a arena de show com a maior capacidade de público do mundo. Quem joga é o time da Philadelphia 76ers contra os Celtics. Ingressos já estão esgotados, mas você pode tentar comprar alguns de quem está vendendo o seu e não pode ir no site Stubhub.

Reabertura da Hayward Gallery (a partir de 25 de janeiro)

Depois de estar fechada para reparos por mais de dois anos, será a reaberta a Hayward Gallery, que fica no Southbank, a apenas alguns minutinhos de caminhada da London Eye. A galeria, que tem entrada franca, vai exibir uma exposição fantástica de fotografia, e é famosa por ter pinturas de artistas modernos como Paul Klee e Francis Bacon.

Como chegar na Hayward Gallery. Crédito da imagem: site Hayward Gallery

E mais:

  • A maior exposição sobre o artista americano Basquiat está acontecendo no Barbican até o dia 27 de janeiro. Ótima pedida para quem gosta de arte de rua. Informações e ingressos aqui.
  • Uma extensa exibição de retratos de Cézanne está sendo exposta no National Portrait Gallery até o dia 11 de fevereiro. Informações e ingressos aqui.

Extra: Curiosidades sobre o mês de janeiro

  • Dia 1º de janeiro: Boa parte da Bretanha (e da Europa) celebrava o início do ano em março, mais especificamente perto do dia 25 de março, perto de quando acontecia o equinócio da primavera, e as plantações começavam, etc. Daí o imperador Júlio César (o tal do “até tu, Brutus”) propôs o calendário juliano, que estabelecia que o ano começava no dia 1º de janeiro. Isso vingou por boa parte da Europa, exceto pela Escócia, que continuou comemorando o início do ano em 25 de março até… 1600! 😲 Só no dia 1º de janeiro de 1600 que a Escócia passou a usar o mesmo calendário que todo mundo, com uma exceção: o departamento de receita federal e impostos, chamado HMRC (parte da razão é que alguns proprietários e coletores de impostos não queriam “perder dias de receita”). Dado alguns ajustes no calendário (acréscimos de alguns dias bissextos para deixar os calendários e os dias do ano certinhos), foi decidido que o ano fiscal no Reino Unido começaria no início de abril desde então.
  • 9 de janeiro: Vai ter bolinho no Palácio de Kensington! É o aniversário da Kate Middleton. Dificilmente a gente vai ser convidado para a festa, mas fica a dica de procurar um pub bacana em South Kensington e beber uma cerveja por ela (já que ela mesma não pode por causa do bebê!)
  • Dia 10 de janeiro: em 1863, neste dia, começou a circular a primeiríssima linha de metrô do mundo (aliás, o sistema de metrô de Londres é um belo senhor de mais de 150 anos!). A primeira linha era a Metropolitan (roxa, que funciona até hoje) e ligava a estação de Paddington a Farringdon, por baixo da terra, e através de trens a vapor! Houveram várias manifestações contra a invenção – o Primeiro Ministro inglês da época se recusou a ir na inauguração porque “preferia ficar na superfície” e alguns religiosos condenaram o empreendimento alegando que “acordaria o demônio no fundo da terra”. Mesmo assim, a venda de bilhetes foi um sucesso e até hoje o metrô é a instituição mais amada, odiada e usada pelos londrinos.
  • 29 de janeiro: em 1813, uma quase desconhecida autora inglesa chamada Jane Austen publicaria um livro neste dia. A obra, que se chamava “Orgulho e Preconceito”, alcançaria em julho do mesmo ano a incrível marca de 1.500 cópias vendidas, o que era um sucesso para a época. O resto, já sabemos, virou história, filme, série…

Faça um tour em Londres comigo! 🙂

A melhor forma de conhecer Londres a fundo, com todas as suas histórias e segredos, é fazendo um tour privado. Eu monto tours especializados e divertidos para atender a toda sua família!

Confira alguns tours que já oferecemos, veja os depoimentos de quem já fez ou mande um email para contato@dondeandoporlondres.com.br

Será um prazer receber você aqui! 🙂

GOSTOU? DEIXE SEU FEEDBACK!

Por favor, deixe o seu comentário! :)
Por favor, escreva seu nome aqui